O Brasil é o segundo maior consumidor de cocaína no mundo

O Brasil é o segundo maior consumidor de cocaína no mundo

Aproximadamente 6 milhões de brasileiros provaram cocaína alguma vez na vida

Aproximadamente 3 milhões fizeram uso da droga no último ano, situando o Brasil como segundo consumidor mundial da droga entorpecente e seus derivados, ficando atrás somente dos Estados Unidos.

Um record nem um pouco agradável, alegre ou patriota, muito menos saudável.

Segundos os estudos elaborado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), 5,6 milhões de adultos e 442 mil menores de idade, que têm entre 14 e 17 anos, admitiram ter consumido cocaína na forma de produtos derivados como crack, óxi e merla. A Unifesp comparou os dados obtidos com estatísticas internacionais, entre elas as da Organização Mundial da Saúde (OMS), para concluir que o Brasil é o segundo maior consumidor de cocaína e seus derivados no mundo.

Neste artigo vamos tratar apenas sobre a Cocaína.

O que a cocaína faz no corpo com o uso contínuo (efeitos físicos crônicos)?

Existem inúmeras complicações físicas associadas ao uso crônico da cocaína. Os distúrbios mais freqüentes são os cardiovasculares, incluindo distúrbios no ritmo cardíaco e ataques do coração.

A cocaína provoca ainda efeitos respiratórios como dor no peito e dificuldade respiratória, além de efeitos gastrointestinais como dores e náuseas. É importante ressaltar que o aparecimento de problemas pelo uso crônico irá depender da via de administração. Por exemplo, problemas nasais, como ruptura do septo nasal e perda do olfato, aparecem com aspiração crônica da cocaína.

Distúrbios cardiovasculares aparecem em todas as vias de administração. No uso de crack há complicações respiratórias ainda! maiores envolvendo bronquite, tosse persistente e disfunções severas.

A via endovenosa, além de aumentar o risco de overdose, propicia disseminação de infecções tais como hepatite B e C e AIDS. Além disso, o uso crônico de cocaína, sob qualquer forma de uso, leva a uma degeneração dos músculos esqueléticos, num processo irreversível chamado rabdomiólise.

As três vias para a cocaína chegar até o cérebro

Cheirada

A cocaína passa pelas mucosas nasais pulmões e coração. Parte vai para o fígado e parte para o cérebro em cerca de 1 minuto.

Fumada

A droga atinge o cérebro em cerca de 8 segundos, após passar pelos pulmões e coração. O efeito também é mais breve.

Injetada

Na veia, a cocaína cai imediatamente na corrente sanguínea atinge o coração. De lá será bombeada para o cérebro em cerca de 10 segundos.

Cocaína - Perguntas frequentes

O refrigerante Coca-Cola contém cocaína?

O emprego de folhas de coca como flavorizante de refrigerante foi iniciado por Pemberton, que idealizou uma fórmula que em 1886 foi registrado como Coca-Cola. Pouco após ter terminado a fase experimental da formulação, o governo americano proibiu o emprego em refrigerantes de folhas de coca que não estivessem previamente "descocaínizados".

Por "descocaínização", entende-se a eliminação não só da cocaína das folhas, mas também, a de qualquer alcalóide que possa dar origem a cocaína. Portanto, mesmo que a preparação de um refrigerante tenha folhas de coca, ele não conterá cocaína. O controle de "descocaínização" é feito pelos órgãos sanitários. OBS.: A cocaína foi substituída pela cafeína.

Os índios faziam uso da coca em cerimônias religiosas?

Durante as cerimônias religiosas, os sacerdotes incas mascavam coca, fornecida pela congregação, para receber os favores dos deuses.

O suplicante, para obter a graça divina, sempre se aproximava do sacerdote mascando esta folha.

A planta também era usada antes de sacrificar vítimas humanas em nome dos deuses.

Existe uso medicinal para a cocaína?

A cocaína é usada como medicamento anestésico desde o século passado.

Como e quando a cocaína tornou-se medicamento?

A partir de 1882, a cocaína tornou-se medicamento quando o oculista Keller a utilizou para neutralizar a sensibilidade da córnea e conjuntiva. Mais tarde, foi, seguido pelos especialistas de garganta Furvel e Cupard.

O que é cocaína? De onde é originada?

É o principal alcalóide obtido das folhas de coca. Quimicamente cocaína é o estermetilíco do ácido [ Ir.(exo,exo)] - 3 - (Benzoiloxi) - 8- mentil - 8 - azabiciclo ( 3,2,1) octano 2 carboxílico. Dentro as drogas, é a Segunda traficada ilicitamente no Brasil, só sendo superada pela maconha. O nome coca é derivado do inca cuca ou Aymaram Khoka significando a árvore. Antonio de Jussieu, em 1750, fez a primeira referência à coca quando classificou as plantas desse gênero. Mais tarde, o termo foi usado por Lamarck. A cocaína é conhecida pelo nome cientifíco de Erithroxylon Coca.

Quais as doses de cloridrato de cocaína que o organismo humano aceita?

Na literatura especializada, encontra-se referências discrepantes com relação às doses.Porém, há, as seguintes concordâncias: a droga quando ingerida é menos tóxica do que quando usada por outra via .Os dependentes suportam doses maiores de quem usa a droga de vez em quando. Doses acima de 50 mg aplicada à mucosas ou a pele lesionada tem ocasionado mortes. A droga é aditiva, ou seja, permite tolerância de até 2g por dia. Com base em trabalhos experimentais em coelhos e ratos, a dose por via intravenosa é da ordem de 17mg por quilo de peso de animal.

O que é "carreira"?

Carreira é uma porção de cocaína espalhada em forma de um risco, sobre uma superfície sólida e lisa, de onde o usuário, através de um canudo, vai aspirá-lo

O que é "papelote"?

É um pequeno invólucro de papel vegetal, de formato retangular,contendo no seu interior uma porção de cocaína. É através de papelote que, normalmente, o usuário adquire a cocaína das mãos do traficante.

O uso permanente de cocaína produz dependência psíquica?

É o ponto pacífico entre todos os autores o fato de que a cocaína produz uma forte dependência psíquica.

O uso permanente de cocaína produz dependência física?

O fato é por demais controvertido. Alguns poucos estudiosos falam da possibilidade da cocaína produzir dependência física. Entretanto, a grande maioria afirma que não produz, escravizando o usuário apenas psicológicamente.

O uso permanente de cocaína provoca tolerância no organismo do usuário?

É outro caso que provoca controvérsias, embora uma grande maioria de especialistas afirme que mesmo não provocando dependência física, a cocaína provoca uma certa tolerância.Ela faz com que o usuário sempre aumente suas doses para sentir o mesmo efeito da dose anterior. Para esses estudiosos, a potencialidade da cocaína com uso constante é amortecida pelo organismo de quem a usa.

Quais os efeitos da cocaína?

Os que a usam indevidamente o fazem não por sua ação anestésica, mas, psíquica, pela euforia que produz. O efeito é acompanhado por aumento da pulsação sanguínea, por insônia e perda de apetite. Superdoses produzem alucinações, convulsões, respiração irregular, calafrios, elevação de temperatura, colapso respiratório e morte.
A síndrome de abstinência se manifesta por apatia, longos períodos de sono, irritabilidade, depressão e desorientação.

Qual o tempo de duração dos efeitos de uma dose de cocaína?

Aproximadamente, o período de uma a duas horas.

A cocaína é afrodisíaca?

Positivamente, a cocaína não é afrodisíaca. Ela não restaura, conserva e tampouco aumenta ou excita o apetite sexual. Não é cientificamente considerado um medicamento ou substância que provoque desejo sexual. Entretanto alguns usuários, por problemas psicológicos, só conseguem manter relações sexuais após usarem a cocaína, como ocorrem com muita gente em relação a uma dose de bebida alcoólica. Na realidade, também como álcool, o uso permanente de cocaína destrói física e moralmente o indivíduo e é mais provável que provoque impotência.

Os compradores testam a cocaína antes de adquiri-la? Como?

Sim, eles costumam testá-la. O modo de testar depende do nível em que se dá a transação. Os grandes traficantes mandam fazer, em laboratório, um correto exame químico. Os pequenos compradores empregam os testes rápidos dos kits para drogas, testes não muito confiáveis pois carecem da especificação necessária. Finalmente, a nível de consumidor, o único teste é provar o pó, colocando-o na língua. A cocaína anestesia a língua e os lábios. Há porém, inúmeros produtos classificados como anestésicos locais que além de produzirem na língua e nos lábios os mesmos efeitos da cocaína, são muito semelhantes a ela no aspecto.

O Tratamento Humanizado contra o Vício em Cocaína

O Tratamento Humanizado para Dependêntes Químicos oferecido por nós, ajudará você a abandonar o vício em Cocaína.

No melhor tratamento para dependentes químicos do Brasil você pode fazer um tratamento completo, que lhe oferece a libertação total, de forma que suas potencialidades sejam totalmente canalizadas para ajudar a si mesmo a vencer a dependência química.

De acordo com os estudos feitos pelos nossos especialistas, o atendimento mais eficaz será aquele que integre várias modalidades de tratamento, entre as seguintes:

  • período inicial de desintoxicação sob supervisão médica;
  • abstenção total de substâncias psicoativas;
  • acompanhamento Humanizado;
  • treinamento de adaptação cognitivo-comportamental;
  • aconselhamento (individual ou em grupo);
  • avaliação psiquiátrica e tratamento;
  • farmacoterapia;
  • programa de tratamento residencial;
  • programa de tratamento no ambiente habitacional habitual;
  • terapia ambiental;
  • treinamento de prevenção de recaída;
  • programa de atenção consciente e meditação;
  • exercício e treinamento físico.

É somente por meio do melhor tratamento para dependentes químicos do Brasil que os melhores resultados são alcançados, porque somente quem possui qualidade superior pode efetivamente proporcionar a libertação absoluta da dependência química.

Portanto, se você deseja o tratamento mais adequado às suas necessidades, dentro de um sistema que vai lhe proporcionar a cura em todas as dimensões. E para isso você só precisa entrar em contato conosco para que possamos lhe ajudar!

Fale com um dos nossos especialistas e descubra como podemos lhe ajudar!